RESENHA DE LIVROS | Quem é você, Alasca?

‘Ela era apaixonante. Eu era irremediavelmente sem graça. Ela era infinitamente fascinante. Então, voltei para o meu quarto e desabei no beliche debaixo, pensando que, se as pessoas fossem chuva, eu era a garoa e ela, um furacão.”

E novamente John Green quase conseguiu me conquistar. Não foi dessa vez \:
Poxa, a história não se limita a um romance adolescente. Há crescimento pessoal na maioria dos personagens e Green introduziu trechos lindos no livro, só que faltou algo ou simplesmente ele tenha pesado a mão em apenas um mundo: Alasca.
Milles Halter é um garoto fissurado em célebres últimas palavras. No tédio de sua vida sem emoção ou sequer um elo real de amizade, decide mudar de colégio, em busca de um Grande Talvez. Esse é o argumento que remete a mudança, ao vinculo com pessoas novas e a busca do novo.
Milles não escapou de ser o nerd da historia, assim como em todos os livros de John, SEMPRE, eu disse SEMPRE, haverá um nerd com dificuldade de relacionamento. Superando esse ponto fraco, Milles aos poucos faz novas amizades e lá esta ela, Alasca.
Alasca, até agora não consigo resumi-la em apenas uma ou duas, que seja três palavras, até porque talvez, e muito graças a Deus, ninguém seja um misero conjunto de três palavras. Alasca a minha interpretação não se trata de uma garota linda e deslumbrante, mas algo nela chama a atenção, atrai, me atraiu. Confusa, engraçada, sexy, envolvente, irritante… desperta curiosidade. Seu passado é um mistério. Só que pensando bem, em nenhum momento me peguei querendo descobrir, pois aquela Alasca por si só já me bastava, seu passado não me interessava, contanto que ela continuasse a ser quem era. Não, eu não sou lésbica rs, mas ela seria o tipo de pessoa que gostaria de ter como amiga.
O livro se divide em duas partes, primeiro conhecemos o antes e do meio da historia em diante o depois. Tendo como titulo ’20, 10, 5 dias antes’ você se pergunta: Antes do que, Senhooooor?! QUE ANGUSTIA! kkkkk E quando o DIA D chega você se vê pensando: Volta para 100 dias antes, Senhor! Vá entender

A historia é fofa, mas a repetição do tema, Alasca e a forma como o livro quase que inteiro rodou em torno do umbigo dela me cansou. Ok, ela era o assunto principal, mas existiam outras vidas ali, personagens que também mereciam espaço. Enfim, até agora estou na duvida se Alasca era a protagonista ou antagonista. Talvez e bem provavelmente seja os dois, mas deixo no ar…

” Ela me ensinou tudo o que eu sabia sobre lagostins, beijos, vinho tinto e poesia. Ela me mudou.”

NOTA: 4/5