RESENHA DO LIVRO “O PEQUENO PRÍNCIPE”

‘ – Mas os olhos são cegos. É preciso ver com o coração…”

Hoje irei fazer diferente. Não farei uma resenha, comentarei as emoções e os sentimentos que o príncipe causou em mim.
Apaixonada por histórias infantis e fã assumida de fantasia, trago hoje minha experiência com umas das leituras obrigatórias para todos os adultos, é ADULTOS.
Aparentemente uma leitura infanto-juvenil, contando com adaptações de aquarelas do próprio autor. Ledo engano. Segue minha humilde tentativa de expressar em um conjunto de palavras o que me falta em voz/fala.
Já li e reli o clássico de Antoine de Saint-Exupéry. A primeira por curiosidade, segunda por saudade e terceira por admiração e por necessidade de introduzir a mensagem do livro em minha fase atual. Apesar de tantas releituras nunca havia me limitado a realizar nenhuma resenha, por um motivo obvio: De todos os períodos que invadi o pequeno mundo do principezinho, a mensagem nunca se repetiu. Três leituras, três momentos, três mensagens.
Algo como poesia, cada leitor interpreta a sua maneira, retira da obra seus ensinamentos próprios, e talvez seja esse o ponto principal da maestria apresentada na leitura. Talvez e bem provavelmente seja nesse momento que nos apaixonamos pela inocência do pequeno garoto, pela amizade sincera que ultrapassa idades e pela importância de jamais deixar de acreditar em si e em seus sonhos.

” – As estrelas são todas iluminadas… Será que elas brilham para que cada um possa um dia encontrar a sua?”

RECOMENDO. Livro de cabeceira ao alcance da mão, dos olhos. Do coração. Leitura pra vida toda.

NOTA: 5/5